Devaneios do último dia do mês

  Nessa busca desenfreada em tentarmos ser aquilo que nascemos para ser, nos tornamos algo. Não somos animais, nem somos deuses... Mas somos algo no meio disso tudo. Fingimos que sabemos o tamanho do universo, mas na verdade não sabemos de nada. Falamos de amor, enquanto pregamos o ódio. Criamos a guerra apenas para podermos... Continue lendo →

Anúncios

Olhar para o nada e enxergar tudo

Um homem está correndo pelo parque, tentando amenizar a louca vontade de acender um cigarro. Ele costumava fumar cinco cigarros seguidos já pela manhã e só parava quando o coração começava a doer. Agora, simplesmente corria e tinha se reduzido a um cigarro a cada uma hora e meia. Em um determinado momento de sua... Continue lendo →

A fuga de nossa fuga

Sonho e admito. Nem perante os outros, nem perante você, nem perante a mim. Mas admito perante a algo. Sonho com roupões (um azul e um vermelho) e com um mundo criado para que a gente nem precise se levantar da cama numa segunda-feira de manhã. Sonho com um grande jardim, no qual o cachorro... Continue lendo →

A mulher que me fez ouvir a música

Não dá pra gente ficar sentado em casa esperando o nosso coração sarar, precisamos sarar ele por nossa própria conta - em algum bar da cidade. Agora, eu tinha terminado meu relacionamento há pouco tempo e dentro de alguns dias meu telefone tocou. É incrível o quão rápido as notícias correm por aí quando são... Continue lendo →

Se os deuses nos atendessem…

Se os deuses me dessem a oportunidade de estar com uma mulher de minha escolha - e apenas uma, por tanto tempo quanto eu vivesse - eu deixaria de lado todas as opções, pois tu serias minha única escolha. Me aconchegaria no silêncio de teu peito e tocaria a maciez de tuas coxas por toda... Continue lendo →

Você sempre vai ter tempo para o amor

Ah, céus! Ando tão ocupado... Aos vinte e poucos, ainda tenho um mundo pra conquistar... Ainda tenho exércitos para vencer, batalhas a travar... Ainda tenho sangue e suor a derramar. Tanto sangue e suor que deve tocar o chão e tão pouco tempo para que eu possa empunhar minhas facas. Existem tijolos para levantar, cartas... Continue lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑