A fuga de nossa fuga

rhymeorreason

Sonho e admito. Nem perante os outros, nem perante você, nem perante a mim. Mas admito perante a algo. Sonho com roupões (um azul e um vermelho) e com um mundo criado para que a gente nem precise se levantar da cama numa segunda-feira de manhã. Sonho com um grande jardim, no qual o cachorro corre de um lado para o outro. Sonho com as almas entrelaçadas. Sonho com as pequenas distrações, com a simplicidade das coisas pequenas. A pior parte é que tais sonhos não me visitam durante o sono, fortemente tomado por doses cavalares de uísque e tequila. Sonho acordado, em pequenos momentos nos quais me retraio em meu silêncio. Um pequeno momento, uma pequena pausa no meu dia a dia onde eu esqueço o que foi dito, o que foi feito, a mágoa e o ressentimento. Aquela pequena “fuga de nossa fuga” – um momento onde tudo o que existe é o amor. Não deveria ser a vida toda?

E de que se foge? Foge-se do medo, da indecisão? Percebi que a palavra “fugir” se assemelha muito a palavra “fingir”. Finjamos a nossa fuga, na medida que abrimos mão de nosso mais puro desejo por simples caprichos do orgulho. E quanto aos roupões combinando? Não sei. Talvez sonhar seja tudo o que me resta.

O adeus não é adeus, a fuga não é a fuga e a mágoa não é a magoa. No fim das contas, tudo que não é amor acaba sendo deixado de lado enquanto minha única vontade é segurar teu rosto entre minhas mãos e sentir teu calor. Como poderia desejar outro calor que não fosse o teu? Como poderia fingir que não és tu que aquece minha alma profundamente. Incendeia-a. Nem lembro dos banhos de água fria que me destes depois.

E como posso não sonhar enquanto o universo grita comigo? Não sou o mesmo de antes, não sou o mesmo de agora. Sou aquilo que estou me tornando, apesar de tudo. Respiro, sonho, perco a fome – em nossa pequena fuga na qual não se permite a saudade e o amor.

E tudo fica minimizado quando olha-se para o coração, exceto o amor. Parando pra pensar: “Não”. Parando pra sentir: “Sim”. Quando tem sol, sinto a falta tua para me refrescar. Quando faz frio, sinto a falta tua para me aquecer. Acima de tudo, sinto a falta de te aquecer. Longe de mim teu coração se sente tão gelado quanto se sente o meu? Poderia um breve período derreter o gelo que o cobre – como está acontecendo com o meu?

Anúncios

ComentAnderson

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s