A geração mais “mimimi” que já existiu (e você tem o desprazer de fazer parte dela)

geração imbecil

Você precisa de uma religião, de um lado político definido, você precisa mostrar preocupação social com qualquer pequena coisinha que acontece nesse mundo (ainda que você não se importe com ela). Você precisa se sensibilizar com a morte de cada ator e cantor famoso (ainda que você nunca tenha visto nenhum de seus filmes ou ouvido nenhuma de suas músicas e precisa se sensibilizar com todas as causas que estão espalhadas por aí.

Você precisa ter uma opinião a respeito da legalização da maconha, do casamento gay e da amamentação em locais públicos. Você precisa escolher entre Jean Willys e Malafaia, entre Luciana Genro e Bolsonaro, entre Dilma e Aécio. Você precisa ser da esquerda ou da direita. Você precisa se definir por tudo aquilo que o mundo quer que você seja.

Você precisa ter uma opinião sobre o feminismo e sobre o movimento LGBT. Você precisa dar sua opinião sobre tudo, ainda que ninguém esteja se importando com ela. Você precisa reclamar de tudo que está de errado com o mundo, ainda que não faça a sua parte para construir um mundo melhor.

cxc

Você precisa se rotular. Sim, você precisa fazer tudo isso e se rotular. Esqueça a sua identidade. Você precisa ter uma opinião formada sobre “aquilo que aquele repórter falou na TV” ou sobre “aquilo que o Tico Santa Cruz compartilhou”. Você precisa fazer tudo isso pra fazer parte da geração mais imbecil que já existiu. E não, você não pode ficar de fora.

Você precisa ser um especialista político, um especialista em empreendedorismo e em Direitos Humanos. Você precisa mostrar que sabe de tudo. Precisa falar mal da imprensa e se mostrar um “pensador independente”. Você precisa odiar todos aqueles que tiveram algum sucesso na vida para disfarçar a sua própria frustração.

Ou não.

Talvez você não precise de nada disso. Talvez você possa ter sua própria opinião sobre os assuntos que realmente lhe interessam e lhe dizem respeito, se abstendo daquilo de que você não sabe nada. Francamente, você devia estar cuidando da sua própria vida.

Defenda as causas que entender cabíveis e faça somente aquilo que tiver vontade. Você não precisa parecer politizado, parecer um especialista econômico ou citar referências bíblicas que não se aplicam na sociedade contemporânea. Talvez você possa (e sim você pode) descobrir a sua opinião sobre as coisas por si próprio.

Talvez você não precise odiar o mundo e nem aqueles que não pensam da mesma forma que você. Podemos discutir por horas sobre todos esses assuntos que eu citei acima. E podemos discordar em todos os pontos. Francamente, devíamos todos cuidarmos de nossas próprias vidas. O direito de um termina onde começa o direito do outro.

Pensar fora da caixa talvez seja uma afronta para a sociedade em que vivemos. Ter suas próprias convicções feitas com uma consulta interna a nós mesmos parece algo irreal. Nesse caso, afronte. Nesse caso, seja irreal. Ninguém vê o mundo da mesma maneira que você. Não tome a visão e as ideias dos outros para si. Descubras as suas próprias ideias.

Leia também: Para não ser cuzão: Pare de enxergar Ideologia Política em absolutamente TUDO

Leia também: Ser apartidário não significa “ficar em cima do muro”

 

Anúncios

186 comentários sobre “A geração mais “mimimi” que já existiu (e você tem o desprazer de fazer parte dela)

  1. Oiii Anderson! Gostei muito do seu texto! Parabéns pela escrita e tudo mais.
    Concordo que não somos obrigados à nada. Precisamos ser mais autênticos e um pouco mais humanos. Vejo pessoas afirmarem lutar por causas e igualdade e blablablá mas não perdem a oportunidade de atacar estupidamente qualquer um com opinião divergente. Então é isso! Amor ao próximo, respeito, essas coisas q realmente importam não estão existindo mais, tudo por causa dessas ideologias que não levam à pessoas a lugar benhum, a não ser ao ‘privilegiado’ posto de mimizento. Hahaha

    Grande beijo

  2. Achei muito engraçado um texto “mimizento” reclamando da “geração mimimi”. O texto se contradiz o tempo todo, e isso fica muito claro quando o autor escreve: “Pensar fora da caixa talvez seja uma afronta para a sociedade em que vivemos. Ter suas próprias convicções feitas com uma consulta interna a nós mesmos parece algo irreal.”
    Mas então, o que seria “pensar fora da caixa”? Essa expressão, no meu entendimento (até 15 minutos atrás), significa pensar tentando obter o ponto de vista do outro, fora do seu mundinho, tentar conhecer outras realidades. Será que me enganei? Não sabia que “pensar fora da caixa” era sinônimo de “consulta interna a nós mesmos”. HAHAHA
    Eu só estou me dando o trabalho de escrever isso aqui pq sim, eu confesso e admito ser uma pessoa muito mimizenta. Mas não faço isso “por obrigação”, e acredito que nenhum outro mimizento que conheço faça por ser obrigado. Ninguém é obrigado a ter uma opinião, ninguém é obrigado a escolher lados, ninguém é obrigado a se sensibilizar.
    Mas o que acontece nessa “geração mimimi”, é que a gente quer compartilhar nossas opiniões sobre tudo sim. A gente quer apoiar causas, a gente quer ter voz e legitimar lutas (sejam elas feministas, lgbtzistas, ou seja lá o que for). E isso não é pra fazer os outros tomarem o nosso lado ou pensar como nós. Isso é pra tentar mostrar que existe um mundo “fora da sua caixa”. Isso é pra tentar te fazer perceber a realidade de outra pessoa, que pode estar sendo prejudicada pq vc só olha pra si e só se preocupa em “consultar a si mesmo”. O objetivo não é te fazer tomar atitude, não é te obrigar a tomar lados e querer mudar o mundo. O objetivo é te fazer pensar.
    É muito perigoso dizer “Não tome a visão e as ideias dos outros para si”, pq cada pessoa vive uma realidade diferente da sua. E sinto te informar, mas existem (sim) outras realidades diferentes da sua. E ficar olhando só pro próprio umbigo não vai fazer esse mundo melhor.
    Se você quer somente “cuidar da própria vida”, vá em frente, bom pra você, a escolha é sua. Como eu disse, ninguém te obrigada a nada. Mas então cuide da própria vida e não venha atrapalhar a luta daqueles que não estão satisfeitos com a realidade (tanto própria quanto dos outros). Não venha deslegitimar movimentos, não tente tirar voz de quem se importa. Foda-se que os outros estão cheios de “mimimi”, apenas cuide da sua própria vida.

  3. Olá, Anderson! Tudo bem?
    Amei o seu texto e tomara que todos saibam que a vida não é essa complicação que muitas pessoas impõe hoje em dia. Temos que pensar mais leve, nos preocupar menos (principalmente se a causa for “pequena” ou não nos acrescentar nada).

    Beijos! 😉

  4. ngm diz que qualquer pessoa precisa ou não precisa de qualquer coisa que seja, o problema é justamente essa mania de todo mundo querer dar sua opnião e dizer que esse ou aquele comportamento é desnecessário, o mimimi começa justamente aí

  5. Pingback: A geração mais “mimimi” que já existiu (e você tem o desprazer de fazer parte dela) – Spoksonat

  6. Meu Deus! Até que enfim encontrei uma opnião que me fez me sentir bem… Da forma como nossa geraçao esta, e pelo fato de eu não ter a mínima pretenção de formular e rotular ideias para todos os assuntos citados… Me sentia fora da sociedade. Mas o seu ponto de vistta é exatamente o que eu penso também. Não devemos obrigar os outros a terem as mesmas visões e muito menos querer que todos tenham ideias formadas sobre todos os assuntos.
    Meus parabéns pelo artigo!!!!

  7. A nova moda de hoje é rotular as pessoas por “SER DE DIREITA ou SER DESQUERDA”, com picuinhas infantis se atacando por todos os lados. “O meu é melhor que o seu”. E se você se abstém de tais assuntos é desinteressado, manipulado pela mídia, massa de manobra, etc. Haja paciência..

  8. Não entendi o que isso tem a ver com uma geração “mimimi”, aliás, todos tem total direito de se manifestar ou não sobre alguma coisa. Se você não quer se manifestar sobre problemas sociais, você não faz isso, eu não estou vendo na sociedade essa pressão que você parece dizer no texto que há para que você tenha uma opinião sobre tudo. Eu por exemplo, não gosto de me definir por direita ou esquerda, mas não sinto ninguém me questionando sobre isso, eu me manifesta pelo feminismo, mas não por outras pautas sociais (o que não significa que não concorde com algumas delas), e não ouço ninguém dizer que eu TENHO que apoiar o movimento negro, ou falar sobre a causa LGBT, ou qualquer outra coisa. Na verdade, esse texto mais pareceu mimimi, NINGUÉM te impede de ter ou não opinião, amigo.

  9. concordo com tudo, mas eu complementaria dizendo que todas as pessoas só querem seu lugar ao sol, e as pessoas que se acham os rebeldes moralistas, os ativistas políticos, e os intelectuais de ensino médio estão perdendo tempo, pois na moral, nós só queremos viver nesse país sem passar necessidade. E quem é revoltado com o mundo só tenho uma coisa a dizer: “as coisas são como são e não como deveriam ser, ta revoldado? se muda pra marte e seja feliz”.

  10. vários comentários MIMIMI por aqui…..deveria fechar parênteses, deveria falar de modinha, deveria MIMIMI MIMIMI MIMI

ComentAnderson

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s