Espere pela pessoa cujas mãos tu desejarás segurar

segurar as maos

Nunca tinha entendido exatamente o que significava ‘segurar as mãos’. Via as pessoas fazendo isso por aí, enquanto caminhavam pelas ruas ou na fila do mercado e lembro que eu sempre pensava algo do tipo “Bem, isso parece legal”, ainda que eu não entendesse exatamente o que aquilo queria dizer.

Tentei fazer isso como uma espécie de ‘experimento social’ com uma garota com a qual me relacionei brevemente. Algo me parecia muito estranho naquilo, mas eu fingia que não me importava. Me sentia extremamente desconfortável com o toque de suas mãos, ainda que ela fosse gentil e adorável. Lembro de pensar: “Caramba, quanto tempo nossas mãos ainda terão que ficar se tocando?” – descobri recentemente que há uma enorme diferença entre duas mãos se tocando e duas mãos segurando uma a outra.

Outras vezes, seguravam minha mão. Aquilo era um verdadeiro inferno. Nem sempre havia sentimento, nem a necessidade de proximidade. Lembro que quando alguém entrelaçava seus dedos aos meus, me perguntava: “O que você está fazendo ali? O que isso significa? Nem eu pertenço a você e nem você a mim. Por que diabos faríamos isso?”.

Eu poderia ir para a cama com alguém e poderia realmente gostar daquela pessoa, mas isso não significava que eu queria segurar suas mãos. Sim, elas poderiam se tocar – sem qualquer tipo de significado.

Não achei que eu fosse desses caras que segurassem as mãos das garotas. “Como eles conseguem?” – eu me perguntava.

Anos e ano se passaram, enquanto eu fugia das mãos que tentava segurar a minha. Era como se toda e qualquer mão na face da terra estivesse coberta por espinhos e tentasse segurar a minha na intenção de feri-la.

large

Um dia, caminhando pelas ruas com alguém que eu acabara de conhecer, acabei entrelaçando meus dedos aos seus – de maneira natural, sem pensar naquilo que eu estava fazendo. E pela primeira vez eu pensei “Que coisa legal!” sem estar me referindo a algum casal que eu tinha encontrado pelas ruas, então lembro que pensei: “Esse é o segredo, é não pensar… Eu preciso sentir. Todas as mãos parecem espinhos quando não sentimos que elas pertencem junto às nossas”.

E assim, o mistério tinha sido desvendado.

Você não deve segurar as mãos das pessoas. Você deve esperar pela pessoa com a qual você realmente irá desejar segurar-lhe a mão, de maneira impensada e natural. Pois é somente assim, quando houver alguma forma de amor, que tal amor será revelado. E as duas mãos passarão a caminhar juntas, como se elas tivessem passado todo o tempo esperando uma pela outra.

Minhas mãos permaneceram sozinhas, enquanto assim desejaram. Eu não controlaria quem poderia tocá-las. Elas deveriam escolher um par de mãos confortável. Tão confortável que lhe deseja nunca mais segurar mãos algumas que não sejam aquelas. Eu não poderia segurar mão algum por motivo algum, se não fossem pelas mãos daquilo que me transmitisse amor.

Por fim, entendi o motivo pelo qual as pessoas seguravam as mãos umas das outras: Não para tentar demonstrar algo, nem para sentir algo. Aquelas mãos se envolviam naturalmente, pois quando se encontraram perceberam que pertenciam juntas.

Anúncios

ComentAnderson

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s