Colchões encharcados

mulher

Esse é um dos primeiros textos do blog, publicado em Setembro de 2013. Me divirto inúmeras vezes lendo meus textos antigos e creio que muitos de vocês podem curti-los também. Destaco que os acontecimentos narrados são reais, ainda que para mim pareçam ter acontecido há muito tempo atrás em um galáxia tão tããão distante. Espero que aproveitem:

Creio que isso deve ter acontecido há cerca de quatro meses. Tinha essa garota e desde que eu havia tomado consciência da sua existência, passávamos juntos por esse momento em que quase íamos pra cama, mas algo sempre aparecia para nos interromper. Sempre havia uma interrupção e entre um beijo e outro, nunca tínhamos chegado remotamente perto de sexo.

E um dia… Simplesmente nos encontramos em um bar da cidade. Eu estava sozinho, ela estava sozinha e a lua uivava ao nosso favor. Lembro que ambos estávamos em uma época na qual os nossos demônios interiores nos assombravam. Abusávamos da bebida e de qualquer outra válvula de escape como se não houvesse amanhã.

Quando chegamos ao meu apartamento, imediatamente pulamos na cama, exaustos da subida das escadas. Conversamos e bebemos mais um pouco até que finalmente chegamos ao momento derradeiro.

Nenhum de nós buscava um relacionamento por assim dizer. Ela tinha esse cara na vida dela por quem era perdidamente apaixonada. Essa paixão frustrada fazia com que ela tivesse uma visão distorcida por si mesma. Eu podia respirar a insegurança nela todas às vezes em que nos encontrávamos até o momento em que transamos. Eu inclusive sempre brincava dizendo “Eu vou te curar”. E por fim, a brincadeira tornou-se realidade. Realmente tivemos uma conexão. Uma das boas.

E passamos o resto da madrugada conversando. Havia tanto a ser compartilhado que acabamos por vencer o sono. No fim da noite, não estávamos mais bêbados. Lembro que só tínhamos um cigarro quando o sol começou a aparecer. O dividimos enquanto falávamos sobre a lua.

Eu não trabalhava na época, então quando ela fosse embora, eu simplesmente iria dormir. Ela foi tomar um banho e eu fiquei sozinho. Procurei por mais um cigarro, mas não encontrei. E então olhei para a minha cama.

Havia uma grande marca de suor com os contornos do seu corpo no lençol. Eu encarei aquela mancha por alguns minutos. Eu simplesmente fiquei ali, em pé, encarando aquela mancha. Ela saiu do banho e perguntou o que eu estava olhando. Não respondi.

Conversamos por mais alguns minutos e ela se foi. Havíamos feito esse acordo de que só transaríamos uma vez, “só pra saber como é”, pois somos verdadeiramente bons amigos. Quando a porta se fechou, virei a chave e soube que algo tinha acontecido.

Eu voltei para o quarto e continuei olhando para a mancha de suor que ela tinha deixado em meu colchão. Deitei ao lado dela, como se ainda existisse alguém ali. E naquele momento eu lancei um profundo olhar sobre mim e sobre o meu relacionamento com as mulheres. Aquela marca significava todas as mulheres que já perdi.

E mesmo percebendo aquilo, eu não me sentia mal. Esse era o pior de tudo: Eu não me sentia mal com nada daquilo. Era como se meu coração tivesse congelado por alguns meses. E naquele momento, no meio de toda a loucura, ele se derreteu.

A mancha secou, mas continuei pensando nela. Eu tomei um longo banho quente, como se estivesse sendo purificado por dentro. Não fiz nenhuma promessa á mim mesmo. Não prometi que nunca mais perderia nenhuma mulher, pois isso não cabia somente á mim.

O que eu soube naquele momento é que havia uma mulher por aí. Quero dizer, uma da qual eu não estaria disposto a abrir mão. Eu provavelmente nem a conheci ainda no momento em que escrevo essas palavras. Mas há uma mulher por aí. Há uma para todo mundo e uma para mim também. E quando eu souber quem ela é eu não vou deixa-la ir embora. Ela não será somente mais uma marca no colchão.

Anúncios

ComentAnderson

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s