Não preciso de você, mas você é essencial

monogamia2

Sendo bem sincero, se eu dissesse que preciso de você estaria sendo um louco. Não dependo de você pra viver, pra respirar, pra pensar. Se você se for amanhã, eu sobreviverei sem você. Estou sendo sincero, pois é isso que eu acho que você merece: Eu não preciso de você, nem precisaria e nem precisarei.

Isso não significa que você não seja essencial.

Isso certamente não significa que eu quero que você se vá.

Você simplesmente é o que você é e eu simplesmente sou o que sou. Se eu me for amanhã, ainda que lhe desagrade, não precisarás de mim. O encontro de almas, entretanto, não pode ser tratado com descaso.

Gosto de passar as mãos nos seus cabelos e de acariciar-lhe o rosto. Gosto do jeito de que nossos corpos se encontram e do jeito com o qual conversamos facilmente, sem vermos a hora passar. Gosto de te ter na minha cama e gosto quando tu me tens na tua. É isso que te faz essencial, teu simples jeito de ser. Todo o resto (tudo que dizemos ou fazemos) é apenas um reflexo do quanto podemos ser essenciais um para o outro.

Não preciso, mas não desconsidero. Seria louco se eu dissesse que dependo de ti para minha sobrevivência, pois francamente eu não preciso. Seria mais louco ainda se dissesse que tu não és essencial, quando tu és a minha única fuga.

Gosto desse nosso desapego com sabor de apego.

Anúncios

ComentAnderson

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s