BUCETA em pauta (+18)

BUCETA

Primeiramente, uma observação: Por motivos óbvios (como sugere o título) esse texto é recomendado somente para pessoas que tenham dezoito anos ou mais. É um texto sobre bucetas e não usarei nenhum outro eufemismo para falar sobre elas. Se você não gosta da palavra buceta, esse texto talvez não seja pra você (ou talvez você precise ler ele mais do que todos os outros) – Leia por sua conta em risco.

Sim, esse é um texto sobre bucetas (ou bocetas, como preferir), mas não é um texto para os pervertidos (ainda que talvez tenha sido escrito por um). Esse certamente não é um texto que as pessoas irão compartilhar por aí e certamente (ou provavelmente), se fosse o título de um livro, você não o carregaria para o metrô ou para o ônibus e nem ao menos teria coragem de lê-lo na fila do mercado. Sabe por quê? As bucetas são um eterno tabu – e, convenhamos, um admirável tabu sobre o qual não falamos o suficiente.

Se eu fosse colocar a imagem de uma real buceta nesse texto, eu seria obrigado a colocar uma tarja nela. Temos que esconder todas as bucetas do mundo, não temos? É como se as bucetas fossem um eterno segredo da humanidade. Metade da população do mundo tem uma delas, mas mesmo assim não podemos falar sobre ela, mostrá-las (OU – DEUS NOS LIVRE – ESCREVER SOBRE ELAS).

Certamente eu não acredito nas palavras da Bíblia, mas você já reparou na história de Adão e Eva? Digo, não na história que a Bíblia nos conta, mas em como Eva é retratada quando nos contam essas histórias nos filmes e nos desenhos. Sempre tem uma tarjinha ali nas partes baixas de Eva, não tem? Eles são capazes de colocar folhinhas sobre a buceta de Eva e até mesmo cometerem o sacrilégio de colocarem roupas na pobre moça. Quando nos contam a história de Eva, gostam de fingir que ela não tinha uma buceta – mas, se ela realmente existiu, ela apenas não tinha vergonha de ter uma buceta. Por que diabos estão escondendo as bucetas até mesmo quando não há pudor em mostrá-las?

Existem vários motivos para privar o mundo das bucetas, por mais adoráveis e maravilhosas que elas sejam. Mas no fundo, creio eu, que as bucetas sejam escondidas porque o mundo tem medo delas. Sim, eu falo de um mundo povoado por pessoas que se amedrontam com uma buceta. Talvez se não as escondessem tanto, as pessoas passariam a vê-las com naturalidade em algumas décadas. Mas não! Não ousem mostrar as bucetas agora, pois as pessoas ficariam escandalizadas. O medo que as pessoas sentem das bucetas fala mais alto do que elas próprias.

Podemos perceber muito sobre o mundo quando analisamos como ele lida com as bucetas: De uma maneira covarde, como se todas as bucetas do mundo fossem profanas, quando de fato elas são uma das coisas mais sagradas que nele existem. Vamos e convenhamos, o que há de mais em uma buceta para termos medo dela? E por que diabos não podemos falar (ou escrever) sobre bucetas de maneira deliberada? E eu não digo que devemos tratar as bucetas como algo obsceno. Digo que devemos encarar com naturalidade: Existem bilhões de bucetas escondidas ao redor do mundo. Talvez elas não devam de fato serem mostradas por aí (ainda que eu não entendo como isso seria um problema se realmente as olhássemos com a admiração que elas merecem), mas existe alguma lógica em tratarmos todas essas bilhões de bucetas como se elas fossem um segredo?

Não são um segredo. São bucetas.

E não, elas não tem cheiro de rosas ou de cremes e perfumes. Bucetas tem cheiro de bucetas e apenas de bucetas. Elas não se parecem com nenhuma outra coisa no mundo, apenas se parecem com bucetas – pois é isso que elas são.

As mulheres são ensinadas a esconderem suas bucetas. Os homens são ensinados a tratá-las como objetos. Nem são segredos, nem são objeto. São bucetas. Apenas isso. Até “buceta” é considerada uma palavra feia. Se uma mulher falar em “buceta” na fila do banheiro de um bar, ela será julgada com olhos que a encaram com desprezo, ainda que só hajam mulheres naquela fila. Buceta não é um palavrão, nem uma palavra proibida que lhe amaldiçoa quando você fala ou pensa sobre ela.

Sim, as bucetas são cultuadas, mas não da maneira que realmente merecem. Elas são vistas como uma obscenidade e as mulheres que as mostram são vistas como putas. Não usarei meias palavras. Falo sobre bucetas e putas, do jeito mais amável que consigo em meio à minha própria grosseria. Você entende qual o motivo pelo qual julgam mulheres que mostram ou falam sobre suas bucetas como putas? NÃO! Não é pelo fato que elas mostram ou falam sobre suas bucetas. É tão somente e simplesmente porque elas admitem ter uma e se recusam a guardá-las em segredo. Ter uma buceta é tão natural quanto ter orelhas ou um nariz, mas você não vê ninguém horrorizado com orelhas ou narizes por aí (talvez porque não tenhamos a cultura de esconder nossos rostos sob máscaras).

Não existem putas. Nem a garota de programa que fica naquela esquina cobrando alguma mixaria para que alguém toque sua buceta, nem a atriz pornô que cobra centenas de milhares para que vejam sua buceta. Há apenas uma cultura generalizada de horror às bucetas. Se as bucetas não estão reprimidas dentro das calças e não são chamadas por apelidinhos fofos como “periquita” ou “pipoca” (me desculpe, mas eu acho o termo buceta muito mais agradável) há algo de errado com as pessoas que não se envergonham com suas bucetas.

Sejamos sinceros? Se você leu o texto até aqui, você o fez por causa da buceta. Não da minha, que nem a tenho, mas da buceta, entende? Dessa entidade secreta que existe aos bilhões pelo mundo e da qual não podemos falar em hipótese alguma. Mas podemos, devemos. É quase nossa obrigação mudar o jeito como falamos e pensamos sobre as bucetas. Por que diabos não admitimos que as bucetas fascinam o mundo todo? São bucetas e não cubos mágicos ou quebra-cabeças de cinco mil peças.

Talvez você nem ao menos goste do que está lendo. Talvez você esteja pensando coisas do tipo “Quem esse cara pensa que é pra falar desse jeito?” ou “Por que ele não usa palavras mais bonitinhas para dizer isso?”, mas de qualquer forma você está lendo sobre bucetas. Não se escandalize ou horrorize com elas e muito menos com o termo. Mulheres ao redor do mundo se sentem diferentes do resto dele por terem bucetas entre suas pernas, como se isso fosse algum defeito horrível.

Deixamos as bucetas do mundo tristes pelo jeito que as tratamos.

Que tal pararmos de enxergar as bucetas como coisas de outro mundo? Que tal que elas deixem de ser um segredo e tornem-se o que elas verdadeiramente são: Uma encantadora parte desse mundo. Todos nós viemos através de uma, não viemos? Vamos falar sobre bucetas? Não do jeito que os homens falam em meio à canalhice do nosso machismo de cada dia, mas como a divindade que as bucetas realmente são. Vamos pensar sobre isso sem ser em momentos de masturbação ou desejo? Vamos simplesmente – e me perdoem se isso for demais – cultivar um amor pelas bucetas do mundo? Independentemente da forma, da cor ou de suas características? Vamos parar de enxergá-las como segredos, objetos ou escândalos? Que tal simplesmente deixarmos as bucetas livres, quer elas sejam mostradas ou não? Que tal pararmos de enxergar as bucetas como um bicho de sete cabeças?

Francamente, acho que poucas pessoas irão gostar desse texto. É um texto sobre bucetas, como alertei no começo dele. Acho que menos ainda as pessoas poderão entender o que quero dizer com ele. Rezo aos céus e às bucetas para que eu esteja errado.

Se você de fato não gostou ou não entendeu esse texto, é apenas um texto sobre bucetas e como lidamos com elas. Já temos idade o bastante pra falarmos abertamente sobre bucetas, não é? Quero dizer… São 21 séculos de evolução civilização e em todos eles tivemos bucetas. Elas nunca foram outra coisa ou de outra forma.

São bucetas. Apenas bucetas. São tudo, menos aquilo que pensamos que elas são. Não são motivo de vergonha ou de repressão.

E só tenho mais uma coisa a dizer…

BUCETA.

 

Anúncios

2 comentários sobre “BUCETA em pauta (+18)

  1. Eu prefiro o termo “buceta” ou “bucetinha” quando a mim se refere no estímulo, no ato em si e agora…com esse texto, me senti a vontade. A minha buceta aplaudiu. Aplausos de bucetas…cadê, cadê??? Boa garoto! Queria ter lido isso no mês de agosto. 😀

ComentAnderson

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s