Dos vultos e da paz

paz

Eu nunca sonho enquanto estou dormindo. Sempre preferi sonhar enquanto estou de olhos abertos.

Naquele dia, talvez eu tenha sonhado de olhos abertos. a questão de sonhar enquanto você está acordado é que você nunca está realmente certo sobre aquilo que viveu. Parece ter sido tão real, mas você sempre conhece intimamente a possibilidade de ter sonhado.

Naquele dia, me encontrei com alguém. Era uma figura sem forma, quase como se fosse um vulto extremamente presente. Um vulto que ia de um lugar para o outro. Um vulto que não desaparecia. Um vulto que existia dentre de mim. Presenteava-me com a fúria… E que belo presente é oferecer a fúria em um mundo que está constantemente pedindo para que estejamos sempre calmos? Diabos, como consegue ser belo o caos quando ele é uma opção.

Conversei com aquela presença. Não falo de palavras, gestos ou toques. Não precisamos de nada disso para conversar. Apreciava aquela presença quase sobrenatural. De algum modo, em um momento de introspecção, passamos a falar sobre Guerra e Paz. Não sobre o livro de Tolstói, sobre a verdadeira guerra e a paz.

E aquela presença me perguntava se eu sentia falta da paz, de sentar-me entre as árvores e simplesmente apreciar a natureza na parte de dentro de mim. Percebi então que aquela presença não sabia nada sobre a paz. Minha paz nunca significou aqueles momentos em  que eu me sentava entre as árvores. Eu disse isso para o inconstante vulto. Então o vulto me perguntou:

-Mas você não sente falta da paz? Da paz interior? De qualquer forma que ela venha?

Eu então respondi:

-Bem, o que é preciso entender, é que de vez em quando temos que fazer algumas coisas. De vez em quando, devemos entrar em guerra com nós mesmo para que possamos alcançar a paz. Isso não significa que a paz deva morrer. Isso só significa que a paz não está aqui agora. Isso quer dizer que de vez em quando precisamos perder a nossa paz. Nós queremos perder a nossa paz. Você não acha?

Repentinamente, o vulto sumiu dentre as paredes.

A presença não era mais sentida. A paz era.

Que a paz seja um vulto que nos conquiste diariamente.

Anúncios

ComentAnderson

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s